On Research Tactics

Results Graph Blackboard

Me deparei com um texto do John Baez sobre táticas de pesquisa, gostei e por isso resolvi compartilhar. Vou colocar abaixo os pontos que me impressionaram mais (em resumo). O link para o texto original John Baez on Research Tactics. O texto é mais voltado para quem faz pesquisa, mas algumas dicas são bem gerais e podem ser aplicados a qualquer atividade intelectual.

Principais táticas

  1. Aprender muito. Como o mundo funciona, de pontos de vista diferentes como filosofia, lógica, aspectos matemáticos, físicos, químicos, e biológicos. Entender história e áreas ligadas a história como Cosmologia, Paleontologia e arqueologia. E áreas sociais como economia, sociologia, antropologia, política, etc. Na pesquisa a especialização é crucial, mas aprender coisas novas é revigorante, ainda mais quando passamos pelo baixos de produtividade. Além disso pode abrir novos horizonte.
  2. Sintetize seu conhecimento em uma linguagem moderna, clara, efetiva e concisa. O propósito de aprender não é guardar muita informação, mas filtrar os ruídos e dados não tão relevantes. Por exemplo, muitos livros, artigos e professores vão discorrer de forma muito longa sobre temas simples, dar exemplos reducionistas e particulares. Evitar isso torna a conexão entre assuntos mais eficiente. Quando se vai direto ao ponto.
  3. Buscar por problemas em aberto nas lacunas entre assuntos correlacionados, pois é ai que se escondem as oportunidades de resolução de problemas relevantes. Buscar ferramentas técnicas em diferentes áreas pode gerar soluções e aplicações novas.
  4. Converse com muitas pessoas. E peça tutelagem de pessoas mais inteligentes que você. Porém, seja instigante, pois pessoas inteligentes ficam entediadas muito fácil. Traga sempre explicações claras de assuntos que essas pessoas não dominam, e deixe-as falar, ao invés de tentar medir conhecimento com eles. Absorva o que puder!

Conselhos sobre como procurar por problemas

  1. No início da carreira como pesquisador, os problemas serão limitados, e terão 3 níveis, ou serão muito complexos, ou muito triviais, ou pouco interessantes. Por isso é importante manter uma lista sempre atualizada de problemas. Usar a tática (2) da compactação de informação (citada acima). Quando se aprende coisas novas é importante buscar analogias, testar os limites de validade, testar os conceitos de um tema X em um tema Y, e buscar generalizações desses conceitos.
  2. Atacar os problemas da sua lista de forma paulatina. Continue sempre pensando sobre eles, e quando vislumbrar uma solução, ataque o problema diretamente. Mas tome cuidado para selecionar problemas relevantes.
  3. É importante ter base, mas não seja conservador, nem cauteloso demais. Não precisa conhecer todos os detalhes, todos os pré requisitos da área para atacar um problema.
  4. Se você se deparar com um problema muito complexo, procure por um problema similar, que abordem os mesmos conceitos, e então o resolva. Caso não encontre imediatamente um problema assim, repita o princípio até encontrar um problema.
  5. Transforme problemas difíceis em uma coleção de casos especiais (subproblemas). Quando você entender uma quantidade relevante dos subproblemas, vai conseguir obter uma visão geral do seu problema original.
  6. Quando se generaliza um problema, é frequente que detalhes irrelevantes fiquem pelo caminho, mas mesmo caso a generalização não funcione, pode revelar os detalhes mais relevantes do problema.
  7. As vezes, ao invés de simplificar um problema em coleção de problemas mais simples, ou generalizar um resultado, pode ser mais frutífero um pensamento lateral, e aplicar os conceitos em áreas correlatas, sob uma nova visão do problema.
  8. Mantenha sempre anotações organizadas de suas tentativas de solução de problemas, em especial das tentativas que fracassaram. Revisite suas anotações de vez em quando. Muitas vezes um fracasso se encontra a milímetros de distância do sucesso!

 

It's only fair to share...Share on FacebookShare on Google+Tweet about this on TwitterShare on LinkedIn
About Osvaldo 51 Articles
Nascido em Belém-PA (1982), fez seu High School nos EUA em Greenwood, IN (Greenwood Community High School), é casado, bacharel em Física pela Unicamp, Mestre em Física pela Unicamp, experiência no mercado financeiro (em São Paulo). Possui como hobby e outros interesses: Cosmologia, Física Teórica, Matemática, Economia, Econofísica, Filosofia, Modelagem em Risco de Crédito, Sistemas Complexos (em especial análise de clusterização).

Be the first to comment

Leave a Reply